Poema

Legislação e prosperidade

 

Um casal de fazendeiros,
decidiu, num certo dia,
dividir sua boiada
para os dez filhos que tinha.
De um modo bem singelo,
confiou aos dois mais velhos
promover a divisão.
Crendo qu'essa atividade
teria integridade
e total resolução.

Mas, depois de algum tempo,
conheceram, estes pais,
o produto da outorga
que lhes tirou a paz.
Pois os filhos escolhidos
dividiram distorcido,
em favor de uma ganância. 
Atribuíram-se o ganho
de um terço do rebanho
iludindo a confiança.

Dois filhos irresponsáveis,
dois irmãos oportunistas,
que se acharam superiores,
e que foram vigaristas.
Desprezaram a ocasião
de fazer a comunhão
através dessa partilha.
Resultaram pais magoados,
oito irmãos prejudicados
e a sequela da quizília.

Assim é feito no Brasil
por demais legisladores,
com pretexto de serem
nossos tais procuradores.
Sorrateiros igualmente
agem eles livremente
pra fazer legislação,
tantas vezes a si mesmos
tendo o povo de somenos
aviltando a nação.

Arquitetam muitas leis 
pandilheiras, imorais,
e com oficialidade
eles tornam-nas legais;
Usam de sortilégios
logram-se privilégios,
com dano à sociedade.
Salários exorbitantes,
bolsas, férias gigantes, 
pensões e impunidade.

Como os filhos que traíram
os irmãos, pais fazendeiros,
esses maus legisladores
ludibriam os brasileiros.
Negam-se oportunidade
da própria dignidade
e nobreza do serviço.
Poderiam ser exemplo,
para engrandecimento
mas preferem desserviço.

Hoje temos consciência,
desse engano, espoliação,
e corrigir é providência
que está em nossas mãos.
Pois nós somos o povo
e o poder emana do povo
pra fazer a nossa lei.
Governos, legisladores,
devem ser os servidores,
e o povo é que é o rei.

Então vamos decididos,
imanentes com fervor
pra fazer todas as leis
sempre a nosso favor.
Que a maioria, honesta,  
trabalhadora, que presta,
assuma então seu poder
para defender o País
da vigarice dos vis
para nós todos vencer.

Comuniquemo-nos pois,
também por redes sociais,
a fim de aumentar a força
do que já somos capaz.
As leis, que precisamos,
nós é que determinamos
via mobilização,
para que os legisladores,
dos quais somos senhores,
obedeçam a petição.

Isto é agora, e todo dia,
vigília em tempo real,
para predomínio do bem,
para extermínio do mal.
Cidadania e atitude
são as nossas virtudes
em todo canto e cidade,
pra fazer no presente
o país que é da gente,
sempre com prosperidade.


J.R.Jerônimo 04.2019