Vias e Versos, por um trânsito mais humano.


Mostras

Veja abaixo alguns poemas deste livro
e confira sua qualidade e utilidade para a educação e conscientização a um trânsito mais seguro.

 

R$28,00
com frete incluso para todo o Brasil

 


Bebida
(pág. 25)

Uma gigantesca tolice,
tal, que beira à sandice:
ingerir bebida alcoólica e dirigir.
Corrija-se dessa tontice,
antes que haja fim triste.
Respeite a vida, permita o porvir.

Bebida alcoólica é qualquer líquido potável
que em sua mistura tenha
meio grau ou mais de álcool.

É pouco, mas suficiente
para prejudicar a mente
de quem decidiu ingerir.
Porém, sábio, não vai dirigir.

É preciso ter consciência
e a lei tem que ser dura,
em favor da providência,
da vida no trânsito segura.

Para, em grave erro não cair,
todos já conseguem saber:
quando escolher dirigir,
álcool não se deve beber.
Mas, se ébrio vir a ficar,
deixe um sóbrio te levar...

 

 

Cinto de Segurança
(pág. 36)

Motorista consciente
é pessoa “pra frente”,
usa cinto de segurança
e por todos faz ser usado, 
em veículo sob sua confiança, 
no banco detrás e do lado.

Sabe que o cinto previne
traumas em um acidente,
que tal cuidado define
a integridade da gente.

Pessoa que vai sem cinto,
mesmo no banco detrás,
é jogada pra frente,
se o carro frear de repente,
e lançada pra todo lado,
se o carro for capotado.

O cinto deve-se usar
não pra não ser multado,
mas pelo bem-estar
que é ocasionado.

 

 

Fumava
(pág. 60)

Fumar, ou não!
Eis o pulmão,
a garganta e o coração;
além de atrapalhar
a direção.

E pra quem diz o contrário:
Como não?  
Se o cigarro
pega-se com a mão.

A mão que muda a marcha,
a mão que puxa o freio,
a mão que aciona a seta
e o alerta
quando o cigarro cai,
não ao chão,
mas no colo
do João,
que fumava...,

agora não.

 

 

Travessia
(pág. 113)

Se não há faixa de pedestre
a menos de cinquenta metros,
e nem mesmo passarela,
é melhor que se atravesse
pelo caminho mais direto,
que não tem inclinadela.*

Na travessia de uma rua
evite ir na diagonal,
pois o tempo se acrescenta
e o perigo aumenta igual.

Como há mais exposição,
na rua do que na calçada,
o pedestre tem mais risco,
é uma caminhada errada.

Transversal é curso curto
e também se ganha tempo;
o trajeto é mais seguro,
inda rende bom exemplo.

Por isso, você já sabe
que a maneira ideal
de atravessar a via:
é reto, na transversal.

 

 

E alguns trechos de outros poemas

 

De chinelo e salto alto
não se deve dirigir,
pois enrosco de pedal,
muda seu lugar de ir.
Em vez de bom passeio,
a história fica ao meio,
sem motivos pra sorrir.

 

 

O pedestre que pela rua anda,
tendo a calçada do seu lado,
está trocando a segurança,
por costume mau e arriscado.

 

 

O pedestre há de evitar
fora da faixa passar.
A não ser que longe esteja,
mais que cinquenta metros,
devendo cuidado somar
com paciência, que seja.

 

 

Quando houver neblina na pista
e for necessário mesmo dirigir,
é preciso que certos cuidados
o condutor venha a seguir.
Os faróis devem ser ligados
no modo baixo, sempre, sempre,
pra marcar posição aos outros
e iluminar o chão à frente.

 

 

Um dos básicos quesitos
do viver com qualidade,
todo tempo irrestrito,
em qualquer uma cidade,
provém de conquistar
segurança em transitar
com melhor mobilidade.

 

 

Quando ver marca zebrada,
sobre ela não passe, não,
pois além de ação errada,
que lhe dá uma autuação,
você gera mau exemplo
e o perigo tem aumento.

 

 

De dentro de seu carro
nada seja lançado,
nem na via, nem no mato,
pois você é educado.

 

 

Alô, alô, quem fala?
Isto é uma gravação,
porque estou dirigindo,
celular, agora não.

 

 

Se não há indicação,
tem ordem de passagem,
preferência é da direita,
dê-lhe a vez e boa viagem.

 

 

É como se fosse o irmão mais velho
que protege o mais novo,
ou, o mais forte,
que defende o mais fraco,
numa espécie de fraternidade,
que respeita a fragilidade.

 

 

Carece a mudança ser promovida,
pra que haja mais razão pela vida.
Que o condutor feliz em seu carro
tenha equilíbrio de corpo e alma,
pra guiar sem azáfama, com calma,
e não mais praticar ato bizarro.

 

 

Nas vias, Cof, Cof, os veículos em geral
devem ter seu motores e escapamentos
com, Cof, Cof, ...funcionamento normal,
para não fabricarem fumaça, gases e
Cof, partículas acima do regulamentado,
para não poluirem o ambiente, Cof, Cof...
e não deixarem todo mundo intoxicado.
Cof...

 

 

Para o freio ter constante eficácia
precisa-se ver com frequência
seu funcionamento e condição.
O prório condutor, com paciência,
vê o fluido e, com tal prudência,
discos, pastilhas e freio de mão.

 

 

– Quem não gosta de ser atendido
assim que chega ao local?
– Quem que não acha positivo
sempre ganhar tempo, afinal?

 

 

O uso certo dos faróis
contribui pra clarear;
isso é claro, todos sabem,
mas alguns parecem sóis
que de noite vêm cegar
outros olhos que se tapem.

 

 

Pista é a unidade da via
quase que absolutamente
ao trânsito veicular destinada,
limitada por marca, passeio,
ilha, mureta ou calçada.

 

 

Ver e ser visto,
no trânsito, isto
é fundamental.
Ter ampla visão,
a tudo atenção,
e fazendo sinal.

 

 

Ao estacionar e parar
em qualquer pública via,
menos que meio metro da guia
é o espaço que se deve distar.

 

 

Espelho, espelho nosso,
ver todos os lados
ao mesmo tempo, não posso.
Mas com sua ajuda, é quase possível,
pois, as quatro direções
uma por vez, rápido, fica visível.

 

 

Na leitura do trânsito
só um olhar não basta.
Para se ver com cuidado
se tem carro logo à frente,
ou se vem alguma gente,
É preciso, para tanto,
pôr os olhos novamente.

 

 

Em qualquer instância,
no trânsito, o fator distância
tem grande importância.
Espaços largos à frente,
dos lados, atrás, sempre
favorecem a gente.

 

 

O trânsito carece da boa disposição,
ter bom humor nessa hora é indispensável,
vias cheias, tempo perdido, poluição,
façamos seja, de todo modo, superável.

 

 

A prudência em toda parte
não deve ser peça de arte
e sim, prática costumeira,
onde atitude segura
seja ligada à postura
geral, na lida corriqueira.

 

 

Ciclista bom de pista entende desde cedo
que, na via, bicicleta não é brinquedo.
Sabe que é veículo, que deve respeitar
as regras do trânsito e também sinalizar.

 

 

Quando a levar pela calçada,
adulto, fique do lado da rua.
A criança não é seu escudo,
é responsabilidade sua.

 

 

Fazer calçada boa não é difícil,
basta que se queira pensar antes:
que nela deverá passar fácil
usuários idosos e cadeirantes.

 

 

Quando põe braço de fora,
mas não vai sinalizar,
motorista não está por dentro
da lei que é pra ajudar.

 

 

Gratidão a todo irmão
que segue a vocação
do labor de educar.
Deus abençoe cada um
que age ao bem comum
para a vida melhorar.

Voltar