Você sabe em quem votar?

J.R.Jerônimo


12.09.2010

Antes de entrar no mérito da escolha dos candidatos, gostaria de sugerir aos legisladores que considerassem a ideia de retirar a obrigatoriedade do voto, uma vez que a maioria da população está, cada vez mais consciente, de que “votar é mais importante como um direito, do que como uma obrigação”.  Sugiro, inclusive, que se pesquise com o eleitorado, antes de alterar a lei.

Aos que ainda “votam porque é uma obrigação”, se eu pudesse sugerir-lhes, diria:

Vote porque, votar, é um grande direito que você tem, resultante de uma conquista de nossa sociedade, à custa de lutas, sacrifícios e muito trabalho para estabelecimento desta oportunidade. 

Seu voto é tão importante que, seja qual for sua religião, merece ser considerado não só como uma grande atitude de cidadania, mas também como um ato espiritual.

Vote, para fortalecimento de nossa democracia.

Vote, para colocar os representantes mais responsáveis, sérios, preparados e comprometidos com o encaminhamento das soluções dos temas mais importantes de nosso município, estado e país.

Vote em quem tem compromisso, não apenas com algum grupo ou comunidade específica, mas com o bem de toda a coletividade.

Como disse um grande religioso na TV, às vésperas das eleições: “Não adianta orar, quando no momento que era para agir, não se agiu.”  O voto é um dos mais importantes momentos para agir, em nossa democracia.  É preciso ter-se consciência de que a escolha realmente foi feita pelos candidatos mais capazes.

Temos necessidade de reformas tão radicais e urgentes, que poderíamos dizer, revolucionárias.

Grandes questões como:

- Erradicação do analfabetismo;

- Qualificação da educação, pela valorização do educador e pela oferta ampla de escolas e cursos em todos os níveis e em todo lugar;

- Reforma eleitoral, para que, por exemplo, quem não receba votos diretos em quantidade suficiente, não seja eleito;

- Reforma tributária, que reduza ao mínimo necessário a carga de impostos, a fim de aumentar o número de empreendimentos e correspondentes empregos, gerando mais atividade na economia;

- Combate ao tráfico de armas, com lei severa e fiscalização rigorosa em toda parte e nas fronteiras, firmando acordos eficazes com países vizinhos;

- Combate ao tráfico de drogas;

- Combate ao roubo, ao estelionato, ao assalto;

- Combate implacável ao homicídio, ao sequestro, ao estupro, à pedofilia, ao tráfico de pessoas;

- Combate à impunidade para todos os tipos de crimes e infrações.  Entendendo que toda punição, em si mesma, carrega o caráter de exemplo para todos;

- Combate à corrupção;

- Reforma no sistema de saúde pública.  Criando, inclusive, a obrigação de que cada político somente possa, para seu atendimento e de sua família, em relação à saúde, utilizar-se do sistema público, jamais do sistema particular (-Já pensou numa coisa dessa?);

- Redução da carga horária de trabalho, para que o cidadão tenha mais tempo para conviver com a família, com o estudo e aprimoramento, com o esporte, com a cultura, com o lazer, e para gerar mais oportunidades de trabalho;

- Construção da infraestrutura adequada ao país - com ferrovias, hidrovias, rodovias, portos, aeroportos - para economia e agilidade nos transportes de produtos e matérias-primas, ao mercado interno e externo;

- Equacionamento do trânsito, com incremento radical no transporte coletivo - ônibus, trem, metrô, barco -, criação de ciclovias e limitação no uso de automóveis.

 Para tanto, nestas eleições de 3 de outubro de 2010, votemos com discernimento e responsabilidade para colocarmos:

- No Poder Executivo federal, um presidente que melhor represente nosso país diante do mundo e que realize mais para a maioria o que a maioria mais precisa, que saiba escolher com critério seus ministros, nomear juízes, assessores e dirigir com autonomia, visão, equilíbrio e sabedoria, para engrandecimento de nosso país;

- No Poder Executivo estadual, um governador com as características de um eventual futuro presidente;

- No  Congresso Nacional, senadores e deputados federais, e nas Assembleias Legislativas, deputados estaduais, capazes e comprometidos com a criarão e votação de leis favoráveis ao interesse da maioria da população. 

A propósito, reproduzo aqui um trecho do meu artigo anterior “7 de setembro - pra ser independente tem que ser livre.”“ de 07.09.2010, para contribuir ao seu processo de escolhas:  Para saber tudo o possível sobre seu candidato você tem o auxílio do site montado especialmente para isto, pelo TSE Tribunal Superior Eleitoral, http://eleicoes2010.jus.br/.  Nele, tem-se as informações básicas do candidato, como escolaridade, partido, naturalidade, estado civil, idade, declaração de bens, certidões criminais, prestação de contas, situação de processo, e também a divulgação de seu site, onde podemos conhecer as ideias, propostas, realizações, depoimentos e o e-mail de contato para falarmos com ele ou ela.

Seu voto deve contribuir para que o maior número possível de representantes, do deputado estadual ao presidente, sejam comprometidos com as reformas, construções e combates acima citados.  Precisamos de representantes que travem este enfrentamento, para que tenhamos um país mais democrático e, finalmente, mais livre, mais seguro, mais próspero, mais decente e digno, e assim, mais humano e feliz.

Deus abençoe o seu voto.