Estados com maior analfabetismo reelegem presidente

J.R.Jerônimo


Os estados brasileiros que têm os maiores índices de analfabetismo entre suas populações também são os que geram menos PIB (Produto Interno Bruto) e os que mais dependem de programas sociais. Os quais somente são possíveis pelo gigantesco montante de impostos arrecadados dos estados produtivos. E destes, o maior contribuidor é São Paulo, com 31,4% do PIB do país. Daí que, exatamente os estados que mais usufruem da contribuição paulista são os que, nas eleições para presidente do Brasil, votaram contra São Paulo.

Mas eles sabem disso? Sabem, por exemplo, como não depender dos programas sociais, tendo qualificação e oportunidades para trabalhar e conquistar por si próprios? É uma obrigação dos governos federal, estadual e municipal promoverem as transformações estruturais das localidades e da sociedade, a fim de que as pessoas sejam libertas das muletas destes programas.

Quem tem mais condições de interpretar a realidade e decidir com mais acerto? As pessoas alfabetizadas ou as não alfabetizadas? E quando, além disso, ainda são bombardeadas com mensagens de medo? Há virtude numa vitória eleitoral baseada nisso? Aliás, isso é vitória?

Um governo que alcança o poder devido a essas condições, pelo menos, deveria fazer com que as pessoas não alfabetizadas e atuais dependentes de programas sociais, fossem qualificadas e a elas dessem condições de trabalho e conquistas próprias. E, se além de se ensinar a ler e a escrever, também se ensinasse a pensar com liberdade, aí se ofereceria a oportunidade de um julgamento equilibrado por parte de todos, já a partir da próxima eleição.

Pois todas as pessoas merecem ter a condição de serem efetivamente felizes, tendo a possibilidade de alcançar suas próprias realizações e interagir com a sociedade em que vivem num patamar mais digno e humano.

% Analfa-betos
% vota-  ram PT
% PIB
1
Distrito Federal
3,25 38,10 4,1
2
Santa Catarina
3,86 35,41 4,1
3
Rio de Janeiro
4,09 54,94 11,2
4
São Paulo
4,09 35,69 31,4
5
Rio Grande do Sul
4,24 46,47 6,4
6
Paraná
5,77 39,02 5,8
7
Mato Grosso do Sul
7,05 43,67 1,2
8
Goiás
7,32 42,89 2,7
9
Espírito Santo
7,52 46,15 2,2
10
Minas Gerais
7,66 52,41 9,6
11
Mato Grosso
7,82 45,33 1,8
12
Amapá
7,89 61,45 0,2
13
Rondônia
7,93 45,15 0,7
14
Amazonas
9,60 65,00 1,5
15
Roraima
9,69 41,10 0,2
16
Pará
11,23 57,41 2,3
17
Tocantins
11,88 59,48 0,5
18
Acre
15,19 36,32 0,2
19
Bahia
15,39 70,16 4,0
20
Pernambuco
16,73 70,20 2,5
21
Sergipe
16,98 67,01 0,7
22
Ceará
17,19 76,75 2,2
23
Rio Grande do Norte
17,38 69,96 0,9
24
Maranhão
19,31 78,76 1,3
25
Paraíba
20,20 64,26 0,7
26
Piauí
21,14 78,30 0,6
27
Alagoas
22,52 62,12 0,7
BRASIL 9,02 51,64 100,0

 

Fontes dos dados:
http://www.sintepe.org.br/site/v1/index.php/component/content/article/40-noticias/1394-analfabetismo
http://politica.estadao.com.br/eleicoes/2014/apuracao/segundo-turno/presidente/
http://exame.abril.com.br/economia/album-de-fotos/a-contribuicao-de-cada-estado-para-o-pib-do-brasil

Publicado em 27.10.2014

Comentário

 

Nome: 
E-mail:  
Ao enviar seu comentário, automaticamente você está autorizando sua publicação,
que poderá ocorrer ou não, conforme critérios da ética e moral.