Anália Franco: um candeeiro sobre o alqueire

Ivan da Cunha


15.04.2012

Lembrar a história de Anália Franco é buscar inspiração diária para nossas próprias lutas. Anália, que viveu entre 1856 e 1919, tem em sua vida a marca dos que pelo exemplo mostram que é possível vencer neste mundo.

Esta admirável mulher, em uma época em que a mulher não tinha direito ao voto ou de dar sua opinião em assembleias públicas e devia obediência cega ao marido; rompeu com diversos paradigmas vigentes e foi chamada de louca e endemoniada entre outras agressões sofridas por ter a coragem de romper com padrões sociais de seu tempo.

Espírita, focada na missão de educação de espíritos e calcada na fé raciocinada, fundou mais de cem instituições para acolher todo tipo de desprotegidos, em especial, as crianças. Suas instituições conquistadas a duras penas tinham a moral cristã como base de libertação do indivíduo. Como dizia Anália, a verdadeira caridade não é acolher o desprotegido, mas promover-lhe a capacidade de se libertar.

Anália não perguntava de onde vinham, qual sua descendência, cor ou raça, pois compreendia a dor do outro se colocando em seu lugar. De forma firme e muitas vezes inflamada, não perdia tempo com melindres ou com que os opositores gritavam ao seu redor.

Teve suas dores, dúvidas e também cometeu alguns erros, e é isso que a torna grande já que estava muito semelhante a todos nós frente às lutas interiores, mas mostrou que com a fé e o trabalho incansáveis é possível doutrinar, disciplinar e educar nosso próprio espírito frente aos vícios morais. Anália não tinha medo de errar e de aprender com seus erros. Ela sabia que o medo de caminhar tira a vontade de vencer e jamais deixou de lutar contra o preconceito e a intolerância.

As histórias de vida de espíritos como Anália Franco precisam estar presentes em nossas mentes e corações, servindo como guia de coragem e esperança para nossas próprias lutas.

Para estudos mais aprofundados de sua obra referenciamos o livro “Anália Franco: a grande dama da educação brasileira” de Eduardo Carvalho Monteiro que adotou como nome de seu livro a denominação dada a Anália pela imprensa da época como reconhecimento da sua grandiosa obra.

Também recomendamos o Rádio-Teatro, em formato de áudio (CD-Duplo), “Anália Franco: um candeeiro sobre o alqueire”. Este lindo trabalho resgata de forma divertida e emocionante os principais fatos da vida de Anália Franco contados como uma novela em cinco capítulos. É uma adaptação da peça teatral premiada de Marcelo Medeiros e conta com a participação dos atores do Grupo Cultural de Divulgação Espírita Estrela Guia que há nove anos apresenta a peça “Aconteceu na Casa Espírita”, da direção de Daniel Carvalho, além do apoio da Rádio Boa Nova. Vale ressaltar que os valores arrecadados por essa obra são beneficentes e destinados às obras assistenciais das creches Tiãozinho em São Paulo.

Os ensinamentos destes grandes servidores do Cristo são um berço de acolhida e conforto para cada um de nós. Ainda mais com Anália: a amiga, daqueles que não tem amigos.   

Pense nisso!


Venha debater estes e outros assuntos no blog do autor: http://ivandacunha.wordpress.com
No BLOG você também encontra a coletânia de textos do Boletim Espírita "O Homem no Mundo"
Para indicar este boletim a um amigo envie um e-mail para: icunha@uol.com.br
Enviado pelo autor em 17.02.2012

(O texto publicado neste espaço é de responsabilidade e direito de seu autor e não precisa, exatamente, refletir a opinião deste site.)


Comentário

 

Nome: 
E-mail:  
Ao enviar seu comentário, automaticamente você está autorizando sua publicação,
que poderá ocorrer ou não, conforme critérios ético e moral.