Artigo

Quem são os baderneiros?

Sobre a ação dos baderneiros nas manifestações populares nas ruas deste junho de 2013, e daí por diante, o ideal é que fossem impedidos, sempre.  Porém, nessa impossibilidade, que fossem, ao menos, presos ao agirem.  E que suas prisões fossem além do cárcere, e tivessem, todas, investigação.   

Há que se averiguar os baderneiros, vândalos e arruaceiros que se aproveitam das mobilizações para atuarem contra a ordem, depredarem o patrimônio público e privado e ainda furtarem. E publicamente serem divulgados os resultados.

Há que se investigar para saber se fazem isso por conta própria ou se representam algum grupo, entidade, agremiação ou seja lá o que for.  Conhecer seus motivos, seus porquês. E, principalmente, se ficarem confirmadas suas malévolas representatividades, o que estão recebendo em troca ou qual a promessa da contrapartida no futuro.

Há que se conhecer o que está por trás da ação destes desordeiros.  Porque não se pode ser ingênuo a ponto de desconsiderar a ideia de que grupos interessados em prejudicar as mobilizações democráticas não usem desse expediente para manter o status quo (o estado de coisas, a situação) como está.  Pois assim, do jeito que está, fica bom para eles, só para eles, e muito ruim para a maioria do povo.

Não se pode permitir, nem um pouco, qualquer prejuízo de legitimidade e de objetividade, do trabalho e dedicação de cada brasileiro engajado, democrática e pacificamente, nas mobilizações que visam a correção da enxurrada de erros dos administradores públicos e legisladores desse país. 

Investigue-se os baderneiros para o bem de cada manifestação e da nação.  Mobilização popular é uma saudável e necessária manifestação democrática.  Enquanto o cidadão de bem é agente da pacífica manifestação, o baderneiro é a má infestação.

J.R.Jerônimo, 23.06.2013.