Artigo

Exemplo ...é para ser bom

Muita gente não se dá conta de uma responsabilidade que tem com a sociedade em que vive.  Trata-se do “exemplo”.

Todo indivíduo, sem exceção, ao longo de sua vida, utiliza-se em maior ou menor grau, por mais ou menos tempo, dos exemplos que encontra pelo caminho.

Desde criança temos o exemplo dos pais, dos irmãos, dos parentes.  Depois vem o exemplo e a referência dos amiguinhos, dos professores.  Mais adiante, dos colegas de trabalho, do chefe, e por aí vai.

Os exemplos mais significativos acabam sendo o das pessoas mais importantes para nós.  Mas também, os exemplos de pessoas que têm destaque no ambiente em que vivemos, como os líderes na escola, no bairro, na cidade, no país, na política, nos esportes, no cinema, na música, na televisão, no jornalismo, na ciência, etc., costumam servir de referência para muita gente.

Logo, querendo ou não, cada um é exemplo onde quer que esteja, de virtudes ou de vícios, do bem ou do mal. 

A quem é delinquente, este texto levará mais tempo para ser compreendido e fazer efeito, mas para a maioria que é decente, ordeira e equilibrada fica mais fácil seu entendimento e aprimoramento.

Portanto, temos que tomar muito cuidado e sermos mais responsáveis, por exemplo, ao dizer que nem sempre é preciso “ter estudo” para se dar bem na vida, pois sem tê-lo, pode-se até ser presidente. 

Este é um “exemplo” perigosíssimo, porque nosso país padece ainda de muita carência de educação, não apenas a da escola, mas também, e principalmente, a da família.

Acredito que não cometo qualquer excesso em dizer que deveríamos mudar a lei que estabelece os requisitos básicos para todos os cargos públicos eletivos.  E quanto maior o posto de alguém, considerando sua responsabilidade, importância e representatividade na vida de uma comunidade, de uma coletividade e, principalmente, de uma nação, mais esta pessoa teria que ser dotada de características positivas, não apenas para que seu desempenho fosse mais produtivo, mas também para que se tornasse o melhor “exemplo” possível a todos os demais indivíduos.

A propósito, não jogue um papelzinho sequer ao chão, não suborne o guarda que vai lhe multar, não deixe o carrinho do supermercado largado numa vaga do estacionamento, não desrespeite fila nem de pessoas nem de veículos, não apoie seu filho quando ele desrespeita a professora na escola, não dirija seu veículo quando beber nem deixe de dar seta quando mudar de faixa, jamais faça ligação clandestina para tv a cabo, não cometa outras tantas irresponsabilidades, ilegalidades, inconsequências e falta de cidadania.  Quer dizer, seja sempre o “bom exemplo”.   Seja, simplesmente, o cidadão que a sociedade precisa.   Você quer que o seu lugar seja um bom ambiente para se viver?  Você quer que a sociedade seja decente, equilibrada e ordeira?  Seja você primeiro.  Faça sua parte, mesmo que os outros ainda não estejam fazendo a deles.  Aos poucos, os demais poderão ser positivamente influenciados e no final todos seremos beneficiados com isto.

Retomando o tema “estudo”, certamente que a aquisição de conhecimento não é condição única para o sucesso.  Além dele há que ser outras atitudes, quais sejam, a coragem, a perseverança, a boa vontade, a fé, para, com o conhecimento, poderem resultar em boas obras.  O sucesso, então, estará presente onde cada objetivo seja alcançado, cada projeto concretizado e cada sonho realizado.

O estudo, a aquisição de conhecimentos, portanto, não são a certeza de que se terá muitos sucessos na vida, mas certamente podemos afirmar que a maioria das pessoas que experimentam muitos sucessos, passaram mais tempo na escola do que as que vivenciam poucos sucessos.  A prática demonstra e pesquisas* comprovam, por exemplo, que a empregabilidade é aumentada, e o salário multiplicado, entre as pessoas que têm curso superior, comparando com as que não tem; que a mortalidade infantil é maior entre as famílias cujas mães têm menos escolaridade, comparada às mães com mais estudo.

Nosso país precisa de todo esforço, empenho, apoio, trabalho, dedicação e “bom exemplo” para estabelecermos definitivamente a Educação como a principal, primordial e prioritária ação do governo e de nossa sociedade.  Para iniciarmos, já, nossa verdadeira transformação deste país em uma grande nação, com direitos e obrigações sendo exercidos por todos igualmente, como pressupõe a democracia.  Para que o lema de nossa bandeira “Ordem e Progresso” seja a nossa prática, com prosperidade e felicidade para todos, o que, aliás, poderá desencadear também num “bom exemplo” para o mundo, para toda a civilização.

*
http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/0404sintese.shtm

http://www.grupoescolar.com/materia/regiao_nordeste_do_brasil.html

http://anjoseguerreiros.blogspot.com/2009/07/baixa-escolaridade-das-maes-aumenta.html

http://www.seufuturonapratica.com.br/portal/index.php?id=1526&tx_ttnews%5Btt_news%5D=8639&tx_ttnews%5BbackPid%5D=1451&cHash=7fe79d94b0

http://web.infomoney.com.br/templates/news/view.asp?codigo=977170&path=/suasfinancas/carreiras/mercado

J.R.Jerônimo, 12.12.2010.